terça-feira
16 de setembro de 2014

 
 
     
ADMINISTRAÇÃO
AVANÇA PG
CIDADANIA
CULTURA
DEFESA CIVIL
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
DOWNLOADS
EDUCAÇÃO
ESPORTES
FINANÇAS
GABINETE
GALERIA DE FOTOS
HABITAÇÃO
JUVENTUDE
MEIO AMBIENTE
OBRAS
PLANEJAMENTO
PLANO DIRETOR
PROMOÇÃO SOCIAL
SAÚDE
SEGURANÇA
SERVIÇOS URBANOS
SERVIDORES
TRABALHO
TRÂNSITO
TRANSPORTE
TURISMO
URBANISMO
Foto: AMAURI PINILHA
 
PG adere ao Minha Casa, Minha Vida
Baixada Santista terá 7.389 moradias. Investimento total será de R$ 543 milhões
16/4/2009 | Daniel Elias, MTB: 59.233
 
A Prefeitura de Praia Grande dá mais um passo na luta em propiciar casas populares à população. O Município aderiu, por meio da Secretaria de Habitação e Meio Ambiente (Sehma), ao programa Minha Casa, Minha Vida. Desenvolvido pela Caixa Econômica Federal (CEF), a Baixada Santista terá, na fase inicial do programa, 7.389 moradias e investimento total de R$ 543 milhões.

Segundo informações da CEF, Praia Grande conta com 179 moradias, que estão disponíveis no Município para população com renda mensal de 3 a 10 salários mínimos federais (de R$ 1.395,00 a R$ 4.650,00). A Cidade terá ainda, outras 200 unidades voltadas para famílias já cadastradas pela Secretaria de Habitação e Meio Ambiente (Sehma) com renda de 0 a 3 mínimos (até R$ 1.395,00). Entretanto, quem está nessa faixa, terá de aguardar o lançamento dos projetos.

“É uma satisfação para Praia Grande estar inserida em projetos habitacionais desenvolvidos pelo governo federal, principalmente, por que este visa atender a população mais carente, com renda familiar de zero a três salários mínimos”, definiu a titular da Sehma, Maria Rosinda Campos Jonhs.

Conforme explica a titular da pasta, nos próximos dias a Sehma passará a cadastrar famílias interessadas. “Estamos esperando a Caixa Econômica nos passar todos os trâmites e, após isso, atenderemos os interessados e encaminharemos as fichas para o banco”, comentou.

Para o empresário Sérgio Fernandes Leal, da Tecnocal Construtora e Incorporadora, o programa beneficiará as empresas privadas. “As construtoras estão dispostas em participar. Com a CEF para auxiliar, podemos dizer que temos um casamento perfeito. Até por que a parceria trará mais investimentos, principalmente os voltados para a edificação de residências para público com renda de 3 a 10 salários mínimos”.

Fase Inicial – Na Região Metropolitana da Baixada Santista, o programa Minha Casa, Minha Vida disponibilizará 7.389 moradias. Deste total, 4 mil — nos valores: apartamentos R$ 52 mil e casas R$ 48 mil — destinam-se população com renda familiar de 0 a 3 salários mínimos. Nesta faixa sócio-econômica serão disponibilizadas para Praia Grande 200 unidades. Dos nove municípios da região, Guarujá e São Vicente ficarão com a maior parcela, totalizando mil residências cada uma, Santos contará com 700, Mongaguá, 400, e Bertioga, 200.

As 3389 moradias restantes — no valor de acima de R$ 56 mil — serão direcionadas a famílias com renda de 3 a 10 salários mínimos. Neste caso, Praia Grande terá 179 residências. Santos é a cidade com o maior número, com 2.795 unidades, distribuídas nos conjuntos Acqua Play (Bairro Marapé), Parques de Morar (Zona Noroeste) e Engenho de Nova Cintra. São Vicente e Bertioga, com 198 e 217 habitações, respectivamente, são os municípios que também contam com o programa.

    página anterior topo da página
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 HOME
 A CIDADE
 ESTRUTURA DE GOVERNO
 SERVIÇOS ONLINE
 NOTÍCIAS
 OUVIDORIA
 PORTAL DA TRANSPARÊNCIA
  Acompanhe Praia Grande
nas Redes Socias