Brasão de Praia Grande  

sexta-feira
28 de janeiro de 2022

 
 
     
ADMINISTRAÇÃO
ASSISTÊNCIA SOCIAL
ASSUNTOS INSTITUCIONAIS
AVANÇA PG
CIDADANIA
CIDADE TOTAL
CONSELHOS MUNICIPAIS
CORONAVÍRUS - COVID-19
CULTURA
DEFESA CIVIL
DOWNLOADS
EDUCAÇÃO
ESPORTES
FINANÇAS
GABINETE
GALERIA DE FOTOS
GOVERNO
HABITAÇÃO
JORI 2018
JUVENTUDE
MEIO AMBIENTE
OBRAS
PLANEJAMENTO
PLANO DIRETOR
PROGRAMA CIDADE SUSTENTÁVEL
SAÚDE
SEGURANÇA
SERVIÇOS URBANOS
SERVIDORES
TRÂNSITO
TRANSPORTE
TURISMO
URBANISMO


 
Filhotes de saruê são resgatados pela Guarda Ambiental de PG
Morador do Bairro Quietude encontrou a mãe, já morta, em área de mangue
16/9/2021
  Compartilhar no Whatsapp
Três filhotes de saruê ou gambá-de-orelha-preta foram resgatados na manhã desta quinta-feira (16) por uma equipe da Guarda Ambiental de Praia Grande, no Bairro Quietude. Um morador do bairro passava por uma área de mangue quando se deparou com a mãe na vegetação, já sem vida, e notou que os filhotes estavam vivos, acionando o grupamento pelo 153.

De acordo com o GCM Ferraz, encarregado da ocorrência, ao chegar no local foi constatado que a saruê da espécie Didelphis aurita já estava sem vida, provavelmente morta por algum predador. Porém, três filhotinhos estavam na bolsa ventral, onde se mantinham aquecidos e alimentados. “É muito comum o saruê ser vítima de predadores maiores, como cachorros domésticos inclusive, já que são comuns em áreas urbanas próximas a vegetação”. Uma outra possibilidade é que a mãe tenha sido vítima de maus tratos, pela ação humana.

A explicação para que os três filhotes tenham sobrevivido pode ser o fato de que, ao nascerem, ainda malformados como fetos, eles migram da barriga da mãe até a bolsa ventral, e ali permanecem por aproximadamente 70 dias amamentando-se. “São animais bem resistentes e pode ser que estivessem nessas condições há mais de um dia. Por sorte, o morador percebeu a situação e nos acionou”.

Os filhotes foram encaminhados ao Centro de Pesquisa e Triagem de Animais Selvagens (CEPTAS), em Cubatão, onde permanecerão em reabilitação para posterior soltura no habitat natural.

De acordo com o GCM, esses animais não fazem mal a ninguém. “Pelo contrário, contribuem para a dispersão de sementes, tornando-se peça importante para o equilíbrio ecológico. São ainda nossos aliados contra a doença do carrapato pois um único indivíduo pode eliminar cerca de 4.000 carrapatos por semana”.

Ele lembrou ainda que é importante as pessoas nunca tentarem manusear animais silvestres caso se deparem com algum. A recomendação é para que sempre acionem a Guarda Ambiental pelo telefone 153. “Embora não sejam perigosos, podem estar assustados, machucados, e agir por instinto, ferindo alguém”.

Atuação – A Guarda Ambiental faz parte do Setor Ambiental (Sepam), que engloba ainda o grupamento de Guarda Costeira. O Sepam atua há 12 anos na Cidade, desenvolvendo importante trabalho. Além do material humano altamente capacitado para atuar na área ambiental, a tecnologia também tem sido um forte aliado do setor, inclusive com a utilização de drones.

Denúncias sobre desmatamento de áreas ou descarte irregular de resíduos da construção civil e acionamento para resgate de animais silvestres podem ser feitas pelos telefones 199 e 153.




página anterior topo da página
Banco de Imagens
 
Pontos Turísticos
 
Câmeras
 
Ouvidoria
 
 
 

 HOME
 A CIDADE
 ESTRUTURA DE GOVERNO
 SERVIÇOS ONLINE
 NOTÍCIAS
 OUVIDORIA
 PORTAL DA TRANSPARÊNCIA
 POLÍTICA DE PRIVACIDADE
  Acompanhe Praia Grande
nas Redes Socias