Brasão de Praia Grande  

quinta-feira
19 de maio de 2022

 
 
     
ADMINISTRAÇÃO
ASSISTÊNCIA SOCIAL
ASSUNTOS INSTITUCIONAIS
AVANÇA PG
CIDADANIA
CIDADE TOTAL
CONSELHOS MUNICIPAIS
CORONAVÍRUS - COVID-19
CULTURA
DEFESA CIVIL
DOWNLOADS
EDUCAÇÃO
ESPORTES
FINANÇAS
GABINETE
GALERIA DE FOTOS
GOVERNO
HABITAÇÃO
JOMI 2022
JUVENTUDE
MEIO AMBIENTE
OBRAS
PLANEJAMENTO
PLANO DIRETOR
PROGRAMA CIDADE SUSTENTÁVEL
SAÚDE
SEGURANÇA
SERVIÇOS URBANOS
SERVIDORES
TRÂNSITO
TRANSPORTE
TURISMO
URBANISMO


 
Educação de PG vive ano de retomada e crescimento tecnológico em 2021
Seduc desenvolveu série de ações para dar suporte ao sistema de ensino
28/12/2021
  Compartilhar no Whatsapp
O ano de 2021 foi de retomada em diferentes aspectos por conta do impacto causado pela pandemia do coronavirus (covid-19). Para a Secretaria de Educação (Seduc) de Praia Grande não foi diferente. Com o avanço da vacinação, houve a transição do sistema remoto de aulas para o híbrido no segundo semestre até chegar a atender 100% da capacidade das turmas com aulas presenciais. Se a doença propagada pelo mundo trouxe dores e tristeza, ela também elucidou que na área da Educação, a tecnologia veio para ficar.

Em Praia Grande, lousas digitais em todas as salas de aulas já são realidade, além de tablets e laboratórios de informática para as escolas de Ensino Fundamental e mesas interativas para a Educação Infantil. Entretanto, estes equipamentos ganharão o reforço de novas ferramentas que prometem incrementar o sistema municipal de ensino. Um dos principais destaques diz respeito ao sistema de wi-fi, conectando todas as unidades à internet.

A EM Governador Orestes Quércia, no Bairro Mirim, foi a primeira a receber a nova ferramenta educacional. A Secretaria de Educação lançou em maio deste ano o projeto piloto para, assim, estudar a viabilidade de implantar a tecnologia em toda a rede. Com o resultado positivo, a pasta municipal executou os tramites para a aquisição do sistema utilizado e começou a instalação. Atualmente, 44 escolas já contam com wi-fi e, até o início do ano letivo em 2022, todas serão contempladas.

Com o wi-fi, tablets, lousas digitais e a recém ferramenta adquirida pela pasta municipal estarão conectados à internet. A Seduc investiu na adoção do Google For Education, um dos principais mecanismos usados por escolas e professores durante as aulas remotas para interagir com alunos. Junto, a Secretaria de Educação foi atrás de aparelhos portáteis e fez a aquisição de Chromebooks, Modem USB e Chip de Dados 4G visando elevar ainda mais a excelência do ensino aplicado.

Ao todo, a pasta municipal fez a aquisição de 4.460 Chromebooks. Destes, 2.660 serão distribuídos em 38 escolas que atendam Ensino Fundamental, ficando 70 aparelhos por unidade. Professores e integrantes das equipes técnicas das escolas municipais receberão os demais 1.800 equipamentos. Junto, os educadores ganharão ainda um Modem USB e um Chip de Dados. “Buscamos as melhores ferramentas para disponibilizar aos nossos docentes”, destacou a secretária de Educação, a professora Cida Cubilia.

E visando proporcionar cada vez mais educação de qualidade para os alunos da rede municipal, o Município firmou uma importante parceria com o Google for Education, conjunto de soluções colaborativas online com o objetivo de ajudar alunos e professores a promoverem um ensino mais dinâmico e completo. Com a parceria, diversos aplicativos do Google são oferecidos como apoio para as aulas, como o Google Classroom (Sala de Aula), Formulários, Agenda, Drive, Documentos, Planilhas, Apresentações, entre outros. Dessa forma, os usuários têm em mãos mais recursos para gestão, comunicação e organização das aulas, beneficiando tanto os professores como os próprios alunos.

Reestruturação – Mas não foi apenas na área da tecnologia que a Secretaria de Educação agiu em 2021. Para atender às demandas apresentadas por procura de vagas nas escolas municipais, a Seduc fez a entrega de ampliação de duas unidades de ensino no Bairro Vila Sônia. Com a inauguração dos novos espaços nas EMs Idalina da Conceição Pereira e Newton de Almeida Castro foram criadas mais 400 vagas para atender crianças de 0 a 3 anos, em turmas de creche.

Ainda para atender a demanda em turmas de Educação Infantil, está na reta final a reforma e adequação do prédio onde funcionava o antigo Centro Estadual de Educação Supletiva Max Dada Gallizzi (Ceesmag), no Bairro Boqueirão. A unidade também atenderá alunos em turmas de berçários I, II e III, com idade de 0 a 3 anos. Com a escola, quando estiver pronta para receber os alunos, a Seduc criará mais 306 novas vagas. A previsão é que o equipamento seja entregue em janeiro, nas comemorações do aniversário da Cidade.

Outras duas unidades de Ensino Fundamental também passam por ampliações e têm previsão de serem entregues em janeiro. Na EM Sebastião Tavares de Oliveira, no Bairro Quietude, a Seduc faz a construção de quatro salas que permitirá a criação de mais 200 vagas. A EM Profª Maria Nilza da Silva Romão, no Vila Sônia, passa por obras de expansão com a criação de mais cinco novas salas.

Além das obras já entregues ou em fase final de execução, a Secretaria de Educação promove a ampliação de outras duas unidades de ensino, tendo início em outubro de 2021. Com a construção de novos espaços, a pasta municipal pretende expandir o serviço oferecido na EM Paulo de Souza Sandoval, voltado para Educação Infantil, e na EM Profª Maria Clotilde Lopes Comitre Rigo, para Ensino Fundamental. Ambas as escolas atendem alunos do Bairro Esmeralda.

Mesmo com os serviços de ampliações das unidades citadas acima, a pasta municipal se prepara para a construção de novas escolas. “Praia Grande é uma das cidades da região que mais cresce o número de habitantes. A cada ano, a demanda de novos moradores aumenta o que acarreta em um planejamento para suprir as necessidades dessa população. Por isso, faremos a construção de mais unidades de ensino em bairros que apresentam maior evolução de moradores”, elucidou a professora Cida Cubilia.

Suporte – Os avanços tecnológicos e as obras de ampliação das escolas municipais andaram de forma paralela com as ações de apoio oferecidos pela Secretaria de Educação. Prova disso, foi o número de kits de alimentação escolar entregues ao longo do ano aos alunos nos quais as famílias se encontravam em vulnerabilidade social. De fevereiro a setembro, a Seduc fez a distribuição de 248.952 kits. Somando os números apresentados ano passado, a pasta municipal totalizou quase 500 mil kits entregues.

A entrega dos kits só foi interrompida quando as escolas municipais passaram a atender 100% da capacidade das turmas quando deu início a 3ª fase do Plano Municipal de Retomada das Aulas Presenciais. Com o aumento no número de alunos em sala de aula, os mantimentos utilizados para montar os kits de alimentação escolar entregues para as famílias passaram a ser usados para a confecção das refeições servidas aos estudantes, deixando assim de ser distribuídos.

Retorno esse que ocorreu de forma gradativa para atender os períodos de vacinação dos docentes e funcionários que atuam na rede municipal de ensino. Para tanto, a Secretaria de Educação deu início a 1ª fase do Plano Municipal de Retomada das Aulas Presenciais em agosto, atendendo 35% da capacidade das turmas. Na ocasião, a exceção ficou por conta das escolas de Educação Especial que receberam 25% do total dos estudantes. Esse quadro durou 15 dias.

Passado o período, a pasta municipal avançou para a 2ª fase do Plano Municipal de Retomada das Aulas Presenciais quando as escolas começaram a receber 50% do total de alunos por turma. A exceção ainda continuou a ser as escolas de Educação Especial que avançaram na capacidade de atendimento para 35%. Tendo em vista a necessidade de respeitar as datas de vacinação, essa etapa perdurou ao longo do mês de setembro. A única mudança ficou no avanço para 50% dos estudantes das EMs Sérgio Vieira de Mello e Anahy Navarro Trovão.

Até que, em outubro, com maior segurança graças à imunização dos profissionais que atuam na área da educação, a pasta municipal avançou para o atendimento de 100% da capacidade de alunos. “Ainda assim fizemos de forma facultativa. Os pais que entendessem ainda não ser o momento mantiveram os filhos em casa, acompanhando as aulas remotamente. Tudo isso para garantir o máximo de segurança a todos os envolvidos”, completou a secretária.

Processo – Desta forma as aulas retornaram quase que na sua totalidade para dentro das salas nas escolas municipais. Com o quadro relativo à pandemia se mantendo como está no momento, o ano que vem as escolas municipais voltam a atender na sua total normalidade. Os professores intensificarão as ações, já iniciadas em 2021, para suprir a defasagem de aprendizado causado pela pandemia.

Mas outras novidades estão por vir para o ano que se inicia. Como, por exemplo, a frequência que deixa de ser feita pelo professor e passa a ocorrer de forma digital. Assim que o aluno adentrar na escola, ao passar pelas catracas, já fica registrado a sua participação na aula. A informação aparece de imediato ao diário digital a disposição do docente que precisará apenas conferir se de fato o estudante compareceu.

“Precisamos sempre evoluir. A tecnologia que já era existente nas nossas escolas municipais ganha reforços de peso”, enfatizou a secretária de Educação, a professora Cida Cubilia. “Depois de os professores se reinventarem e garantirem a continuidade de ensino, mesmo à distância, não podemos simplesmente retroceder. São ferramentas que passaram a fazer parte da rotina de aprendizado e que precisam, de fato, estar dentro de sala de aula. E Praia Grande, mais uma vez, faz acontecer”.



página anterior topo da página
Banco de Imagens
 
Pontos Turísticos
 
Câmeras
 
Ouvidoria
 
 
 

 HOME
 A CIDADE
 ESTRUTURA DE GOVERNO
 SERVIÇOS ONLINE
 NOTÍCIAS
 OUVIDORIA
 PORTAL DA TRANSPARÊNCIA
 POLÍTICA DE PRIVACIDADE
  Acompanhe Praia Grande
nas Redes Socias